Governador assina operação de crédito de R$ 97 milhões para recuperação de rodovias

Segundo Paulo Henrique Costa essa é a segunda operação feita com o Piauí, com impacto relevante na infraestrutura e na mobilidade do Estado.
créditos: cidadeverde.com

 

O governador Wellington Dias (PT) assinou na tarde desta quarta-feira, (24), operação de crédito com o Banco de Brasília para investimentos em rodovias piauienses. Segundo informações do governo do estado, o valor total acordado foi de R$ 97 milhões que serão utilizados na recuperação de 15 trechos em rodovias do Estado.

O presidente do BRB, Paulo Henrique Costa, destacou que a expectativa é de que a operação tenha impactos relevantes tanto na área de infraestrutura como também na geração de emprego no Piauí.

“Para nós do BRB é mais uma oportunidade de mostrar como o banco público pode fazer a diferença na vida de pessoas gerando empregos, gerando renda, desenvolvimento por meio de operações seguras com um Estado que tem capacidade de pagamento, que conduz uma transformação econômica e social”, diz.

Segundo Paulo Henrique Costa essa é a segunda operação feita com o Piauí, com impacto relevante na infraestrutura e na mobilidade do Estado.

O Governo do Piauí já havia celebrado outras operações de crédito com BRB. Em 2020, foi acordada operação de crédito que permitiu o investimento de R$ 83 milhões em infraestrutura rodoviária. O recurso foi empregado na conservação, restauração e construção de novas rodovias contidas no PRO Piauí.

Desenvolvimento

Para o governador Wellington Dias, as operações de crédito são uma antecipação de desenvolvimento que levam melhorias na estrutura das vias e para a população e ajudam no crescimento das condições de investimento do Estado.

“Você anda pelo Piauí, ali entre Barreiras do Piauí e a cidade de Bom Jesus, tem investimentos do BRB melhorando a infraestrutura para a população. Isso é no norte, no centro e sul do Piauí.

Quando a gente fez a primeira operação que gera emprego e renda, o Estado tinha uma capacidade de investimento da ordem de 6%, 7% ao ano, em relação às receitas correntes líquidas. Os investimentos fizeram a economia crescer mesmo em um período complexo”, avaliou Wellington Dias.

 

 


COLUNISTA
Eudes Martins
COMPARTILHE O LINK DA MATÉRIA