14/12/2018 (86) 8176-6846

Pedro II

Famílias da Chã do Lambedor receberão cisternas de 16 mil litros

A comunidade tem água canalizada, porém a água quase nunca chega

Por Redação 05/12/2018 às 09:22:18

22 famílias da comunidade Chã do Lambedor estão empolgadas para receber uma cisterna onde poderão guardar a água da chuva e assim utilizá-la no verão. A comunidade que fica a 06 km do centro de Pedro II até tem água canalizada da Empresa fornecedora de água na cidade. Porém, devido a distancia e também o posicionamento geográfico da comunidade a água quase não chega nas casas e quando chega é em quantidade insuficiente para o uso das famílias. Por outro lado, comunidades que tem água canalizada, elas não entram nos critérios do Governo para receber cisternas dos programas sociais, mesmo que a água que chega não seja suficiente.

Diante do problema, algumas famílias procuraram a Coordenação do Centro de Formação Mandacaru para solicitar apoio na resolução do problema comunitário. Elas relataram da sua necessidade por uma cisterna.  Foi daí que a Entidade procurou apoio para ajudar as famílias e encontrou no Grupo Missionshilfe Pedro II da Alemanha a disponibilidade para somar forças, onde juntos conseguiram o recurso.

O recurso conseguido não atenderá todas as famílias da comunidade, por isso o Centro de formação Mandacaru dialogou com as lideranças comunitárias para atender prioritariamente aquelas famílias que tem em casa idosos, crianças ou pessoas com deficiência.

Agora as famílias iniciam o processo de mobilização para a construção das cisternas. A primeira atividade é o Curso de Gerenciamento em Recursos Hídricos - GRH. Nele as famílias debatem e compreendem o quanto é importante administrar bem a água e tomar todos os cuidados para que a mesma torne-se saudável para o consumo humano. No curso as famílias recebem também a orientação para cuidar bem da cisterna.

Nos dias 01 e 02 de dezembro as famílias participaram do curso onde também foram combinados a contra partida e os compromissos de cada família na construção e manutenção da cisterna. Por exemplo, a família precisa fazer a escavação do buraco para a cisterna, disponibilizar serventes e também fornecer alimento para o pedreiro enquanto a cisterna é construída em sua casa.

Além das 22 famílias da comunidade Chã do Lambedor, mais 13 famílias de outras comunidades estão sendo mobilizadas para também receberem uma cisterna. A previsão de término da construção das cisternas é até o fim do mês de janeiro para que as famílias ainda possam guardar a água das chuvas que chegam entre janeiro e abril.

Fonte: Neto Santos

comentários