11/12/2017 (xx) xxxx-xxxx

Educação

400 detentos do Piauí devem se inscrever para fazer o Enem este ano

Pelo menos 700 presos no Estado já prestaram o exame em 2015 e 2016. Este ano, 479 foram inscritos para prestar o Encceja e conseguir a certificação do Ensino Médio.

Por Redação 03/10/2017 às 20:43:54

Foi lançado hoje (03) pelo Inep (Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) o edital do Enem para Pessoas Privadas de Liberdade e Jovens sob Medida Socioeducativa. A expectativa é que no Piauí pelo menos 400 detentos se inscrevam para fazer as provas deste ano, que acontecem nos dias 12 e 13 de dezembro. Em 2015 e 2016 mais de 700 presos foram inscritos para realizar o Enem no Piauí.


Foto: Divulgação/Sejus

A participação dos presos no exame faz parte dos programas educacionais desenvolvidos no sistema penitenciário piauiense pela Secretaria de Justiça (Sejus), dentre eles o Canal Educação, Educação de Jovens e Adultos e o Brasil Alfabetizado. A preparação dos detentos já vem acontecendo ao longo do ano, tanto pelo Canal Educação quanto com aulas ministradas por professores da rede pública estadual de ensino.

Somente este ano, já foram realizadas revisões na Casa de Custódia e na Casa de Detenção de São Raimundo Nonato. No próximo sábado (07), será a vez dos reeducandos da Penitenciária José de Deus Barros, em Picos, receberem a revisão do Enem.


Foto: Divulgação/Sejus

Certificação do Ensino Médio

De acordo com a coordenadora de ensino prisional, Jussyara Valente, o Piauí inscreveu 479 detentos para o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja). Por meio deste exame é possível conseguir os certificados de conclusão do Ensino Médio, antes alcançados com o Enem para Pessoas Privadas de Liberdade. As provas do Encceja 2017 acontecem nos dias 21 e 22 de novembro em 14 unidade penais do Estado.

"Nosso papel é das oportunidades a todas as pessoas privadas de liberdade para que elas tenham acesso à educação, que precisam da educação para mudar de vida. O Enem no sistema prisional, portanto, é uma das nossas prioridades", explica Jussyara Valente.

Para o secretário de Justiça, Daniel Oliveira, os programas educacionais e o Enem são fundamentais para a consolidação da política de reintegração social de pessoas privadas de liberdade no sistema prisional. "A educação é o principal caminho para a ressocialização e, portanto, um dos nossos principais pilares. Com esses projetos, nós podemos dar esperança, novas perspectivas aos detentos, para depois que cumprirem suas penas, retornarem à sociedade", pontua o secretário.





Publicada por Eudes Martins

Fonte: O Dia

comentários